Judicialização predatória da saúde e falhas de governo: levando a sério a teoria da escolha pública

Authors

  • Marco Aurélio Souza da Silva Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.31501/ealr.v13i2.13416

Abstract

O artigo tem por objetivo abordar a judicialização predatória das políticas públicas de saúde sob a perspectiva da teoria da escolha pública (public choice theory). O debate sobre a judicialização da saúde tem girado em torno do confronto de argumentos sobre a máxima efetividade dos direitos fundamentais, a escassez dos recursos orçamentários, o mínimo existencial e a reserva do possível. Chama-se a atenção para a importância de entender os comportamentos dos atores envolvidos, especialmente no âmbito do governo, que ao longo do tempo contribuíram de alguma forma para o atual estágio da litigância, tomando como exemplo o Estado de Santa Catarina no período compreendido entre 2015 e 2018. Conclui-se que é fundamental a criação de uma estrutura de incentivos que permita aos agentes públicos envolvidos maximizar o bem-estar do maior número possível de pessoas destinatárias de serviços de saúde.

 

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Marco Aurélio Souza da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutor e mestre em direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina. 

Published

2022-07-02