Evidências sobre a vitimização no Brasil DOI: http://dx.doi.org/10.18836/2178-0587/ealr.v6n2p206-227

João Paulo Moreira de Carvalho Souza, Marina Silva da Cunha

Abstract


O objetivo deste trabalho é estudar o perfil das vítimas dos delitos de roubo/furto, tentativa de roubo/furto e agressão no Brasil. Além disso, busca-se analisar possíveis alterações na vitimização do brasileiro de 1988 para 2009, com base nas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) e na estimação de modelos lógite.Os resultados encontrados corroboram a teoria e mostram que fatores como atratividade da vítima, proximidade a potenciais ofensores, por exemplo, interferem nas chances de um indivíduo sofrer delitos. Constatou-se, em geral, uma maior homogeneidade das chances de vitimização para as características pessoais dos indivíduos, mas uma maior heterogeneidade espacial no País, do final da década de 1980 para o final da de 2000. Os resultados sugerem que categorias mais vulneráveis passam a ter maiores chances de vitimização, tais como mulheres e jovens, e que a proporção de indivíduos vitimados no País aumentou.

 

Palavras-chave: Teoria Econômica do Crime, modelo lógite, vitimização.


Keywords


Teoria Econômica do Crime; Modelo lógite; vitimização



DOI: http://dx.doi.org/10.18836/2178-0587/ealr.v6n2p206-227

Economic Analysis of Law Review  -  ISSN 2178-0587

Creative   Commons License Catholic University of Brasília - UCB