EFEITOS AGUDOS DO ALONGAMENTO: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS TÉCNICAS DE FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR

Marcus Alcântara, Fabíola Firmino, Renata Lage

Resumo


As técnicas de alongamento são descritas pela literatura como uma das modalidades terapêuticas mais utilizadas devido a sua capacidade de aumentar a flexibilidade dos tecidos moles, favorecendo um bom desempenho osteomuscular. O alongamento associado à técnica Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) tem sido exaustivamente pesquisado, sendo apontado como o que apresenta os melhores resultados. Contudo, poucos estudos têm dado ênfase sobre a Técnica de Energia Muscular (TEM). O objetivo do presente estudo foi comparar os efeitos imediatos de duas técnicas de alongamento baseadas na inibição ativa, a FNP e a TEM. Participaram da pesquisa 98 voluntários (65 homens e 33 mulheres), distribuídos aleatoriamente em 3 grupos: FNP, TEM e controle. As medidas antes e depois foram comparadas pela ANOVA univariada. RESULTADOS: As análises estatísticas mostraram que ambas as técnicas foram significativamente mais efetivas do que o grupo controle (p < 0.05), porém, a técnica FNP apresentou maiores ganhos na ADM de quadril (8,77º±5,02) comparado à TEM (6,97º±6,81). Nossos resultados indicaram que as duas técnicas induziram respostas semelhantes na flexibilidade dos músculos isquiotibiais, sugerindo que ambas podem ser efetivas num programa de alongamento. Mais estudos são necessários para confirmar a eficiência da TEM, sobretudo os efeitos adaptativos em longo prazo.

Palavras-chave


Amplitude de movimento; flexibilidade; FNP; isquiotibiais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v18i3.1239

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement