NÚMERO DE REPETIÇÕES E INTENSIDADE RELATIVA EM MEMBROS SUPERIORES E INFERIORES: IMPLICAÇÕES PARA O TREINAMENTO

Renato Barroso, Hamilton Roschel, Saulo Gil, Valmor Tricoli

Resumo


Recomendações para o treino de força podem ser baseadas na intensidade relativa ou no número de repetições máximas. Entretanto, sabe-se que o número máximo de repetições com a mesma carga relativa varia de acordo com o exercício e o tamanho do grupo muscular. Além disso, considerando essa possível diferença nas respostas musculares a diferentes cargas, a execução de múltiplas séries pode afetar o número máximo de repetições em cada série diferentemente em exercícios para segmentos corporais distintos. Com o objetivo de comparar o número de repetições realizadas com uma mesma intensidade relativa recomendada para hipertrofia muscular em dois diferentes exercícios, doze homens jovens treinados foram testados para força máxima (1RM) nos exercícios leg-press e supino reto. Uma semana depois, os participantes realizaram três séries até a falha concêntrica com carga igual a 80% de 1RM com dois minutos de intervalo entre séries. O número máximo de repetições realizadas em cada série foi anotado e utilizado para análise estatística. A análise por modelos mistos revelou que o número de repetições realizadas no leg-press foi maior do que no supino reto (p<0,05). Além disso, o número de repetições diminui ao longo das três séries sem diferença entre os exercícios. Assim, é possível sugerir que as recomendações para o treino de força que visa hipertrofia devem ser revistas e possivelmente incluir recomendações diferenciadas para exercícios distintos.

Palavras-chave


hipertrofia, repetições máximas, leg-press, supino

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v19i1.1590

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement