ULTRAMARATONA: EM BUSCA DO LIMITE HUMANO

Geovana Alves Coiceiro, Vera Menezes Costa

Resumo


Os esporte de aventura e risco extremo são uma realidade, e a cada dia a essas práticas vão aderindo novos adeptos, como é o caso da ultramaratona. O que chama a atenção é o desgaste físico e mental que esse “ultra” corredores se submetem, tornando essas práticas para poucas pessoas. O estudo buscou identificar os sentidos e significados que se apresentam nos discursos de praticantes de ultramaratona. Método: Estudo com abordagem de pesquisa qualitativa. Como instrumento para coleta de dados adotou-se uma entrevista semi-estruturada aplicada a 7 participantes brasileiros de ultramaratona. O método de análise do discurso foi o proposto por Orlandi (2001). Dentre as marcas imaginárias que emergiram dos discursos, destacamos os sentidos de limite, desafio, superação e imortalidade. Os depoimentos dos sujeitos de nosso estudo confirmam que há um jogo com o risco, de forma que o indivíduo possa se afirmar diante da sociedade e mostrar o seu valor. É por isso que os praticantes de ultramaratona buscam ser únicos na realização de determinado feito, pois o valor agregado à façanha é muito alto e conseguido à custa de muito engajamento. É preciso alcançar uma marca simbólica.

Palavras-chave


Ultramaratona; Imaginário Social; Esportes de risco extremo; Limite humano

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v18i3.1710

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement