INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO AGUDO NO METABOLISMO DE RATOS COM HIPERTIREOIDISMO

Wladimir Rafael Beck, Larissa Pires de Andrade, Renato Aparecido Corrêa Caritá, André Katayama Yamada, Rodrigo Augusto Dalia, José Alexandre Curiacos de Almeida Leme, Maria Alice Rostom de Mello, Eliete Luciano

Resumo


Introdução: Estudos relatam intolerância ao exercício em pacientes com hipertireoidismo, entretanto, poucos analisam as influências do exercício físico agudo no metabolismo glicídico e protéico de animais com esta patologia. Objetivo: analisar a influência da sessão aguda de exercício físico no metabolismo glicídico e protéico em ratos com hipertireoidismo. Métodos: Foram utilizados 26 ratos, distribuídos nos seguintes grupos: controle repouso (CR) e controle exercício agudo (CA); hipertireoidismo repouso (HR) e hipertireoidismo exercício agudo (HA). Os animais do grupo hipertireoidismo foram induzidos ao quadro patológico por meio da administração de levotiroxina. Foi registrado o peso corporal, ingestão hídrica e alimentar, além de analisadas variáveis teciduais e plasmáticas. Resultados: Foram encontradas alterações no peso corporal e em variáveis plasmáticas e teciduais quando comparados os grupos. Conclusão: O exercício físico agudo parece ser capaz de alterar a dinâmica metabólica glicídica e protéica, plasmática e tecidual em ratos com hipertireoidismo.

Palavras-chave


Hipertireoidismo; Exercício agudo; Ratos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v19i2.2063

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement