EFEITO DA INTENSIDADE DO EXERCÍCIO NA OXIDAÇÃO DE CARBOIDRATOS E GORDURAS DURANTE A RECUPERAÇÃO EM DIABÉTICOS TIPO 2

Laila Cândida de Jesus Lima, Gisela Arsa Cunha, Daisy Fonseca Motta, Wesley Salazar Almeida, Ricardo Yukio Asano, Marcelo Magalhães Sales, Gislane Ferreira Melo, Carmen Silvia Grubert Campbell, Herbert Gustavo Simões

Resumo


Indivíduos com diabetes tipo 2 (DM2) apresentam alterações na utilização de substratos energéticos em repouso e durante o exercício. Estudos têm demonstrado que o exercício pode ser efetivo no controle e tratamento do DM2, porém o efeito de diferentes intensidades de exercício sobre a relação da contribuição de carboidratos e gorduras durante a recuperação ainda não foi elucidado. Métodos. Vinte indivíduos sedentários e de ambos os sexos, foram divididos em 2 grupos, sendo 9 indivíduos DM2 e 11 não diabéticos (ND) foram submetidos a 3 sessões experimentais: Teste incremental máximo (TI), sessão de exercício realizada a 90% da carga do limiar de lactato (90%LL) e, sessão controle (CONT), sessão realização de exercício. Em todas as sessões experimentais, os indivíduos permaneceram em repouso durante o período de recuperação (pós-exercício) durante 135 minutos, sendo que, aos 45 minutos de recuperação foi administrada uma solução de carboidrato (CHO). Resultados. Ambos os grupos apresentaram elevada oxidação de carboidratos durante as sessões de exercício intenso (TI) e moderado (90%LL) quando comparado aos valores de repouso (p<0,05). A oxidação de gorduras se apresentou elevada durante o período de recuperação do TI em ambos os grupos (p<0,05), contudo, no grupo DM2, essa alteração se prolongou por um período de tempo maior. Por outro lado, no período de recuperação da sessão de exercício realizada a 90%LL, somente o grupo ND apresentou oxidação de gordura elevada após 60minutos. Conclusão. Diabéticos tipo 2 apresentam melhor oxidação de gordura quando submetidos a exercício de maior intensidade (TI). Portanto, o exercício intenso (TI) pode aumentar oxidação de gorduras, especialmente em diabéticos tipo 2, o que resultaria em efeitos positivos para a saúde, como maior sensibilidade a insulina e equilíbrio metabólico. Porém a utilização dessa intensidade em diabéticos deve ser utilizada com cautela.

Palavras-chave


Diabetes; oxidação; intensidade de exercício.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v19i1.2186

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement