INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE ATIVIDADES FÍSICAS LABORAIS, DE LAZER E LOCOMOÇÃO NA MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA DE REPOUSO E NA FREQÜÊNCIA CARDÍACA DE RECUPERAÇÃO

Zaqueline Fernandes Guerra, Tiago Peçanha de Oliveira, Débora do Nascimento Moreira, Lilian Pinto da Silva, Mateus Camaroti Laterza, Jorge Roberto Perrout de Lima

Resumo


Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar a influência do nível das atividades laborais, de lazer e locomoção na modulação autonômica cardíaca de repouso e na freqüência cardíaca de recuperação. Métodos: Vinte jovens, saudáveis, do sexo masculino, que não praticavam exercício físico regular, foram divididos em dois grupos de acordo com o nível de atividade física habitual, obtido a partir do cálculo do escore total (ET), do questionário de Baecke: ‘menos ativos’ (n=10; 22,8±1,9 anos) e ‘mais ativos’ (n=10; 22,3±2,2 anos). Os registros dos intervalos R-R dos voluntários foram feitos em repouso, na posição supina por 15 minutos; durante o teste cardiopulmonar máximo e; por 5 minutos do período de recuperação. A variabilidade da freqüência cardíaca (VFC) foi analisada no domínio do tempo e da freqüência durante os últimos 5 minutos da coleta de repouso. Analisaram-se também índices de recuperação da freqüência cardíaca (FCrec). Resultados: Não houve diferença significativa entre os dois grupos em nenhum dos índices da VFC, assim como nos índices da FCrec. Conclusão: sugere-se que apenas atividades laborais, de lazer e te locomoção parecem não promover efeitos significativos na modulação autonômica cardíaca de repouso e na freqüência cardíaca de recuperação em jovens saudáveis. Nesse sentido, reforça-se a necessidade de atividades físicas sistematizadas e/ou aumento na intensidade das atividades laborais, de lazer e locomoção para promover adaptações autonômicas cardíacas.

Palavras-chave


Freqüência Cardíaca, Atividade Física, Exercício

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i1.2375

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement