EFEITO DA SIMULAÇÃO DO JOGO DE BASQUETEBOL SOBRE O PICO DE TORQUE E RAZÃO FUNCIONAL DOS MÚSCULOS ESTABILIZADORES DO TORNOZELO

Autores

  • Alex Castro Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Luciano Fernandes Crozara Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Aline Harumi Karuka Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Déborah Hebling Spinoso Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Camilla Zanfolini Hallal Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Nise Ribeiro Marques Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro
  • Mauro Gonçalves Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro

DOI:

https://doi.org/10.18511/rbcm.v19i4.2390

Resumo

O presente estudo teve por objetivo analisar o efeito de simulação do jogo de basquetebol sobre o pico de torque (PT) dos músculos eversores e inversores do tornozelo e a razão de torque funcional eversor excêntrico/inversor concêntrico (EVEEXC/INVCON). Dez basquetebolistas universitários saudáveis, sem instabilidades mecânicas ou funcionais no tornozelo realizaram uma simulação do jogo de basquetebol a partir de um teste laboratorial. O teste foi composto por uma sucessão de esforços físicos intensos e breves distribuídos igualmente em quatro períodos de 10 minutos cada, considerando demandas mecânicas e fisiológicas de um jogo de basquetebol. Previamente ao início do teste (Avaliação 1) e após o 2º (Avaliação 2) e o 4º (Avaliação 3) período, foram realizadas cinco contrações isocinéticas máximas concêntricas e excêntricas dos grupos musculares eversores e inversores do tornozelo, separados por dois minutos de intervalo, nas velocidades de 60º/s e 120°/s. Após a verificação da normalidade de distribuição dos dados com o teste Shapiro-Wilk, utilizou-se o teste ANOVA medidas repetidas e o teste post-hoc de Bonferroni para a comparação das variáveis entre as avaliações. Adotou-se p < 0.05. Não houve diferença significativa para a razão EVEEXC/INVCON entre as avaliações realizadas. Entretanto, verificou-se declínio do PT EVEEXC a 60º/s e 120º/s para a Avaliação 2 quando comparada à Avaliação 1. Para o PT INVCON observou-se redução dos valores em relação à Avaliação 1, quando comparados à Avaliação 2 a 60º/s e à Avaliação 3 a 120º/s. Diante destes resultados, conclui-se que o progresso da simulação do jogo de basquetebol promove redução do PT dos músculos eversores e inversores do tornozelo. Palavras-chave: Entorses e Distensões; Força Muscular; Instabilidade Articular; Dinamômetro Isocinético.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Castro, Universidade Estadual Paulista Campus de Rio Claro

Departamento de Educação Física - Laboratório de Biomecânica

Downloads

Publicado

2012-06-18

Edição

Seção

Artigo Original