INTERLEUCINA-6, CAPACIDADE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA EM HOMENS IDOSOS COM BAIXA MASSA ÓSSEA PRATICANTES DE TAI CHI CHUAN

Márcio de Moura Pereira, Lucy Gomes Vianna, Ana Patrícia de Paula, Marisete Peralta Safons, Otávio de Tolêdo Nóbrega, Vinícius Carolino de Souza

Resumo


O propósito deste estudo foi avaliar o efeito do Tai Chi Chuan (TCC) na Interleucina-6 (IL-6), capacidade funcional (CF) e qualidade de vida (QV) em homens idosos com baixa densidade mineral óssea (BDMO). Completaram este estudo descritivo 56 voluntários idosos, divididos em 3 grupos: G1 (praticantes de TCC com BDMO; n = 20; idade = 69,20±6,19 anos), G2 (controle com BDMO; n = 21; idade = 69,00±5,67 anos) e G3 (controle com massa óssea normal; n = 15; idade = 68,27±6,13 anos). G1 havia praticado o TCC Estilo Yang de 24 Movimentos durante 12 semanas, 2 vezes por semana. G2 e G3 não praticaram atividade física orientada. A densidade mineral óssea (coluna lombar e colo do fêmur) foi avaliada por meio de densitometria de duplo feixe de raios X, IL-6 foi avaliada por ELISA e CF foi avaliada através dos seguintes Testes Fullerton de CF: Resistência Aeróbia (RA), Força de Membros Inferiores (FMMII), Força de Membros Superiores (FMMSS), Flexibilidade de Membros Inferiores (FLEXMMII), Flexibilidade de Membros Superiores (FLEXMMSS), Equilíbrio Estático (EQE) e Equilíbrio Dinâmico (EQD). QV foi avaliada através do Questionário SF-36. Realizou-se estatística descritiva e avaliou-se a normalidade através do teste de Shapiro-Wilk. Para comparar as variáveis dependentes entre os grupos a Análise de Variância (ANOVA) e o Teste de Kruskal Wallis foram aplicados, utilizando o pacote estatístico SPSS, para uma significância de p?0,05. Verificou-se nos praticantes de TCC valores melhores e significantes para algumas CP e QV: RA (p=0,01), FMMII (p=0,02), FMMSS (p=0,03), EQD (p=0,01), QV – Domínio Capacidade Funcional (p=0,02) e QV – Domínio Vitalidade (p=0,03). IL-6 não apresentou diferenças significativas (p=0,72). Estes resultados indicam que TCC é eficaz na melhora da capacidade funcional e qualidade de vida em homens idosos com baixa densidade mineral óssea, porém não altera os níveis da IL-6.

Palavras-chave


Exercício; Osteoporose; Imunologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v19i3.2407

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement