EFEITOS DE UMA INTERVENÇÃO EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL l, PARA A PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS

Leonardo Almeida Cavalcanti, Tugdual Rodrigues Do Carmo Junior, Lílian Alves Pereira, Ricardo Yukio Asano, Márcia Cristina Lopes Garcia, Cintia Mota Cardeal, Nanci Maria de França

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar efeitos de uma intervenção, no âmbito da escola, para a promoção do estilo de vida saudável, em relação aos hábitos alimentares em escolares da rede pública de ensino. A amostra foi composta por 461 escolares de 7 a 11 anos de idade em duas escolas. Sendo 232 da escola controle e 229 da escola experimental. A coleta de dados foi sub-dividida em dois momentos: inicialmente foram realizadas medidas antropométricas, para classificar as crianças quanto ao IMC e percentual de gordura e no segundo momento foi aplicado um questionário modificado de estilo de vida para identificar os hábitos alimentares das crianças. O estudo desenvolveu-se em três momentos distintos, mas interdependentes: Diagnóstico, Intervenção e Reavaliação. Na fase de intervenção foi aplicado um programa educativo, focando os hábitos de atividade física e hábitos alimentares. Porém, neste estudo, foram analisados somente os dados referentes aos hábitos alimentares. Para análise estatística foi realizado o teste de qui-quadrado (x²) para identificar diferenças significativas entre pré e pós intervenção em cada unidade escolar separadamente tanto na variável hábitos alimentares como na classificação do IMC. A prevalência de crianças que se alimentam insuficientemente foi de 67,9% (n=267) e 68,1% (n=202) na escola controle; já na escola experimental 67,2% (n=161) e 65,5% (n=134) nos momentos pré e pós intervenção respectivamente. Os resultados encontrados no estudo dão suporte para propostas e programas, com maior alcance e que contemplem a toda a comunidade no ambiente escolar e familiar.

Palavras-chave


Intervenção, hábito alimentar, escolares, estilo de vida saudável

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i2.2408

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement