AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE CARDIORESPIRATÓRIA (VO2MÁX) EM POLICIAIS MILITARES, COM TESTES INDIRETOS

Gerardo Rebelo Filho, Francisco José Andriotti Prada, Glauber Castelo Branco Silva, José Cândido de Almeida Gayoso Neto, Francisco Nilson dos Santos, Raul Alves Feitosa, Lucas Santos Ibiapino Bastos de Alencar

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o (VO2máx) de militares com testes indiretos de 1600m (ALMEIDA et al., 2010) e 12min (COOPER,1968). Participaram 49 militares masculinos, aptos fisicamente, média de idade de 25,6 ±3,10 anos, IMC 23 ±1,4 Kg.m2, selecionados aleatoriamente. O (VO2máx) foi mensurado através das equações de Cooper e Almeida após os testes; coletados e analisados os parâmetros fisiológicos: frequência cardíaca, glicemia e lactato pré e pós-testes e percepção subjetiva do esforço ao final. Observou-se grande fidedignidade entre eles, sendo o valor do (VO2máx) de 1600m (43,63±3,21) superior ao de 12min (39,42±4,18), mostrando aumento significativo (p<0,0001), atribuída à potência de exercício desenvolvida durante o teste, que pode ser observada nos valores de lactato no de 1600m. A prova de 1600m, mostrou-se como uma alternativa eficaz na mensuração do (VO2máx) em militares, portanto sendo uma medida indireta de baixo custo e fácil uso e de grande valia sua aplicabilidade nas Instituições Militares.

Palavras-chave


Consumo máximo de Oxigênio, Teste de aptidão física (TAF), Parâmetros fisiológicos, Exercício físico aeróbio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i1.3019

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement