COMPARAÇÃO ENTRE DIFERENTES VOLUMES DE FLEXIONAMENTO SOBRE A FORÇA EXPLOSIVA

Rudy Jose Nodari Junior, Leonardo Antonio dos Santos Galdino, Carlos JOsé Nogueira, Estélio Henrique Martin Dantas

Resumo


Baseados nas divergências acerca da influência da flexibilidade sobre a força objetivou-se avaliar se a aplicação de diferentes volumes no treino da flexibilidade causa efeitos diferentes na força explosiva em 24 mulheres adultas. Os três dias de testes iniciaram com aquecimento de 10 minutos, em seguida, no primeiro dia (C), foi realizado um salto vertical sem a aplicação de qualquer rotina de treinamento, e, após 10 minutos, este foi repetido. No segundo dia (F1) houve a inclusão da rotina de exercícios de flexionamento estático com a aplicação de uma série de 10 segundos de sustentação, a qual foi repetida no terceiro dia (F3), porém, utilizando-se três séries. Concluiu-se que os dois volumes aplicados: F1(?% = - 2,70%, p = 0,021) e F3 (?% = - 6,90%, p = 0,0001), interferiram negativamente na capacidade de saltar de indivíduos do sexo feminino, porém, tais volumes não se diferenciaram significativamente entre si. Dessa forma, diferentes volumes de flexionamento estático não causam reduções proporcionais na força explosiva.

Palavras-chave


Educação Física; Exercício

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i3.3064

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement