LIDERANÇA DO TÉCNICO E COESÃO DE GRUPO: UM ESTUDO COM EQUIPES PROFISSIONAIS DE FUTSAL

José Roberto Andrade do Nascimento Junior, Lenamar Fiorese Vieira

Resumo


Este estudo descritivo investigou o nível de coesão de grupo e o estilo de liderança dos treinadores de equipes paranaenses de futsal adulto. Foram sujeitos 122 atletas das equipes do Campeonato Paranaense de Futsal-Chave Ouro 2011. Como instrumentos foram utilizados o Questionário de Ambiente de Grupo e a Escala de Liderança no Desporto. Para análise dos dados, aplicou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov, alfa de Cronbach, Anova de Medidas Repetidas e “U” de Mann-Whitnney (p<0,05). Os resultados evidenciaram que as equipes apresentaram moderado nível de coesão de grupo, com maiores escores nas dimensões integração no grupo-tarefa (Md=7,8) e atração individual para o grupo-tarefa (Md=8,0); os atletas perceberam que seus técnicos apresentavam um comportamento baseado principalmente em treino-instrução (Md=4,2), reforço (Md=4,1) e suporte social (Md=3,7), além de serem mais democráticos (Md=3,4) em suas atitudes e decisões, em detrimento ao estilo autocrático (Md=2,8); a partir da comparação com o nível de coesão de grupo em função do estilo de liderança do treinador, foi encontrada diferença significativa nas dimensões integração no grupo-tarefa (p=0,004) e atração individual para o grupo-tarefa (p=0,008), evidenciando que as equipes que possuíam técnicos com estilo democrático apresentaram maior nível de coesão para a tarefa em detrimento às equipes com técnicos autocráticos. Conclusão: o estilo de liderança do treinador (autocrático/democrático) demonstrou-se como elemento interveniente na coesão de grupo para a tarefa das equipes.

Palavras-chave


Coesão de grupo; Liderança do técnico; Esporte.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i2.3067

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement