NENHUM EFEITO DE DIFERENTES CICLOS RESPIRATÓRIOS SOBRE O DESEMPENHO NOS 50 METROS DE NADO CRAWL - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v21n1p5-9

Bruno Ryker, Francisco José Prada, Flávio Oliveira Pires

Resumo


A busca por melhora de desempenho na natação tem sido uma constante por treinadores e atletas, dessa forma vários aspectos da natação devem ser levados em consideração quanto ao melhor rendimento do nado. Uma delas é a relação braçada/ciclo respiratórios, com isso o foco desse referente estudo foi de analisar a influência dos diferentes ciclos respiratórios durante nado crawl de 50m. Vinte indivíduos (idade entre 18 e 25 anos), completaram 50m no menor tempo possível, em piscina semi-olímpica, usando as seguintes relações braçada/ciclos respiratórios: 1x1, 3x1, 5x1, 7x1e 9x1. Velocidade Média (VM), freqüência de braçada (FB), comprimento de braçada (CB) e índice de braçada (IB) foram obtidos. Não houve diferença significante na VM e na FB entre as diferentes relações braçadas/ciclos respiratórios, embora as relações 1x1 e 9x1 tenham gerado 2,8 ± 0,29 e 2,5 ± 0,23 metros por segundo de CB respectivamente (p = 0,04) e no IB de 113,1 ± 17,33 e 97,0 ± 13,80 metros por segundo (p = 0,01) em relação às mesmas relações braçadas/ciclos respiratórios. Os resultados obtidos não suportam a hipótese de que as diferentes técnicas respiratórias interfiram no desempenho durante nado de 50m, estilo crawl, ainda que diferenças tenham sido encontradas no CB e IB. Contudo deve ser ressaltado que as diferenças detectadas no tempo gasto para completar os 50 metros, embora sem significância estatística, poderiam definir as primeiras colocações numa prova competitiva. Outros estudos são necessários para determinar se a utilização de diferentes relações braçadas/respiração teria impacto em eventos de duração mais prolongada.
Palavras Chave: Natação; estilo crawl; técnicas de respiração na natação.

Palavras-chave


Esporte; Atividade Fisica; Exercício

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v21i1.3258

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement