EFEITO DO TREINAMENTO CONCORRENTE SOBRE A FORÇA E ÁREA DE SECÇÃO TRANSVERSA MUSCULAR

Edson Mendes Junior, Cleiton Augusto Libardi, Miguel Soares Conceição, Felipe Romano Damas Nogueira, Felipe Cassaro Vechin, Arthur Fernandes Gaspari, Ricardo Paes de Barros Berton, Manoel Emilio Lixandrão, Mara Patrícia Traina Chacon-Mikahil

Resumo


O treinamento de força (TF) induz aumentos na força e hipertrofia muscular. Por outro lado, o treinamento aeróbio (TA) é capaz de elevar a potência aeróbia (VO2pico). Porém a associação entre o TF e TA, conhecido como treinamento concorrente (TC), parece diminuir os ganhos de força e hipertrofia muscular quando comparado ao TF isolado. Dessa forma, esse estudo comparou os efeitos de 16 semanas de TF, TA e TC na área de secção transversa de coxa (ASTC) e força muscular em 49 homens de meia-idade não ativos fisicamente. Para tanto os sujeitos foram randomizados em TF (n=12), TA (n=12), TC (n=12) e grupo controle (GC, n=13). Os protocolos de treinamento foram compostos de duas etapas (E1 e E2) com duração de oito semanas cada, e frequência de três sessões/semana (TF: 10 exercícios 3 x 8-10RM; TA: 60 min de caminhada ou corrida a 55-85%VO2pico; TC: 6 exercícios 3 x 8-10RM somados de 30 min de caminhada ou corrida a 55-85%VO2pico; GC não realizou nenhum protocolo de treinamento durante o período do estudo). A ASTC foi mensurada pela equação de Knapik; força máxima por teste de 1-RM; VO2pico por meio de teste ergométrico em esteira. Os principais resultados demonstraram que o TF e TC obtiveram aumentos similares da ASTC (5,7 e 5,6%; respectivamente) e concomitante aumento da força máxima no exercício leg press após 16 semanas de intervenção (48,6 e 54,8%; respectivamente). Os resultados referentes ao VO2pico evidenciaram aumentos similares apenas para os grupos TC (14,8%) e TA (21,7%) após a intervenção. Dessa forma, concluímos que o protocolo de TC utilizado no presente estudo, não promove o efeito de interferência na ASTC e força muscular de membros inferiores de homens de meia-idade.

Palavras-chave


Hipertrofia muscular; efeito da interferência; treinamento de força; treinamento aeróbio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i2.3271

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement