AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS PORTADORES DE DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA (DPOC) ASSOCIADA AO DESEMPENHO FÍSICO FUNCIONAL

Gilmar Sidnei Erzinger, Marco Fabio Mastroeni, Helton Eckermann da Silva,

Resumo


Avaliar o desempenho físico funcional (DFF) de membros inferiores e sua associação com o grau de dispneia, estado funcional para atividades de vida diária (AVD) e qualidade de vida em portadores de DPOC. Participaram do estudo 52 portadores de DPOC, com média de idade de 65,9 ± 9,25 anos. Como instrumentos foram utilizados o SPPB para avaliar o DFF de membros inferiores; a espirometria para estadiamento da DPOC; as escalas Medical Research Council (MRC) e London Chest Activity of Daily Living (LCADL) para avaliar a gravidade da dispneia e o estado funcional para AVD, respectivamente; e o questionário Airways Questionnaire–20 (AQ-20) para avaliar a qualidade de vida. Dos 52 avaliados, 26 apresentaram um bom DFF, 24 moderado desempenho e apenas 2 indivíduos alcançaram um baixo e ruim desempenho. O escore total do SPPB correlacionou-se negativamente com a escala LCADL (r = -0,336; p<0,05), com a idade (r = -0,435; p<0,01), e com a presença de queixas osteomusculares (r = -0,280; p<0,05). Não foram evidenciadas correlações significativas do SPPB com o AQ-20 ou com a escala MRC. As categorias "bom" e "moderado" da variável DFF de membros inferiores foram significativamente correlacionadas às variáveis presença de co-morbidades osteomusculares, idade e auto-relato de limitação funcional para as AVD, segundo a escala LCADL.

Palavras-chave


Desempenho físico funcional; Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; qualidade de vida; grau de dispneia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i4.3429

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement