INFLUÊNCIA DE TRÊS INTERVALOS ENTRE SERIES NO VOLUME DE TREINAMENTO COM PESOS

Aylton J Figueira Junior, Marin Popp Douglas, Otton Rosemari

Resumo


Introdução: o intervalo de repouso (IR) entre as séries e exercícios pode afetar a resposta aguda hormonal, metabólica, cardiovascular e neuromuscular ao treinamento com pesos (TP). Objetivo: comparar 3 diferentes IR entre as séries no desempenho neuromuscular no supino reto e leg press 45º durante 4 séries consecutivas em mulheres atletas de handebol. Métodos: foram avaliadas 7 atletas (17,29 + 0,76 anos; massa corporal 69,7 + 10,5Kg; estatura 168,6 + 10,3cm) com experiência prévia no TP. Todas as atletas participaram de 6 sessões de testes separadas por 48 horas de intervalo durante 4 semanas. Durante cada teste, 4 séries de supino reto e leg press 45º foram executas até a exaustão a 75% de 1RM. O IR entre as séries foi de 1, 3 e 5 minutos divididos aleatoriamente durante os testes. O número total de repetições (RT) completadas e a sustentabilidade das repetições (SR) foram comparados entre as condições de IR e exercícios. A análise estatística foi Análise de Variância Fatorial (ANOVA) 3x4 de medidas repetidas (p<0,05). Resultados: Para o supino reto, os resultados evidenciaram declínio significativo na SR entre a primeira e a quarta séries com 1 e 3 minutos de IR. O intervalo de 5 minutos resultou em TR significativamente maior durante 4 séries comparado a intervalo de 1 minuto. Entretanto, SR não foi afetada durante as 4 séries com 5 minutos de IR. Nenhuma diferença significativa foi encontrada para o leg press 45º. Conclusão: os dados sugerem que as atletas foram incapazes de sustentar o número de repetições utilizando 1 e 3 minutos de IR no supino reto. Entretanto, esta resposta deve estar relacionada ao grupo muscular e tipo do exercício. Quando o objetivo do treinamento é maximizar os ganhos de força no supino reto, 5 minutos de IR devem ser utilizados para evitar declínio no volume do TP.

Palavras-chave


Treinamento de força, intervalo de recuperação, atleta

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v20i4.3432

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement