BAIXA APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA ESTÁ ASSOCIADA AO EXCESSO DE PESO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES INDEPENDENTE DO SEXO E DA IDADE - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v21n4p56-62

Júlio Brugnara Mello, Yuri da Silva Ribeiro, Andreia Castagna, Mauren Lúcia de Araújo Bergmann, Gabriel Gustavo Bergmann

Resumo


Algumas evidências indicam que a baixa aptidão cardiorrespiratória está associada a uma série de fatores risco para doenças cardiovasculares em adolescentes. Desta forma, torna-se relevante identificar características que podem contribuir para que este componente da aptidão física apresente valores reduzidos. Alguns estudos têm sido desenvolvidos associando a aptidão cardiorrespiratória com indicadores de excesso de peso. Contudo, nem todos realizaram as análises ajustadas por variáveis que podem influenciar, como sexo e idade. O objetivo deste estudo foi identificar as prevalências e a possível associação entre a baixa aptidão cardiorrespiratória e o excesso de peso ajustada para o sexo e a idade em adolescentes. O estudo foi realizado em uma cidade do sul do Brasil com a participação de 1.455 escolares de 10 a 17 anos dos dois sexos selecionados de forma aleatória. O excesso de peso foi definido a partir do índice de massa corporal. Para a medida da aptidão cardiorrespiratória foi utilizado o teste de corrida/caminhada de nove minutos. Para classificação do índice de massa corporal (normalidade e excesso de peso) e da aptidão cardiorrespiratória (recomendada e baixa) foi utilizada a proposta do Projeto Esporte Brasil. Para o tratamento dos dados foram utilizadas as análises univariada, bivariada e multivariável. Para todas as análises foi levado em consideração um intervalo de confiança de 95% (IC95%). A prevalência de baixa aptidão cardiorrespiratória foi de 74,1% (IC95% 71,7-76,5). A prevalência de excesso de peso foi de 26,3% (IC95% 24,0-28,6). Tanto nas análises bivariadas quanto na análise multivariável, todas as variáveis apresentaram associação com a baixa aptidão cardiorrespiratória (P<0,05). Com base nos resultados apresentados podemos concluir que o índice de massa corporal está inversamente associado à aptidão cardiorrespiratória, onde adolescentes com excesso de peso, independentes do sexo e da idade, têm chance aumentada de apresentarem baixa aptidão cardiorrespiratória.

Palavras-chave


aptidão física; estudantes; índice de massa corporal; saúde

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v21i4.3991

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement