TREINAMENTO COM PESOS E A PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE ESFORÇO PARA DIFERENTES MOMENTOS EM IDOSAS: TAREFA E SESSÃO - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v21n4p151-156

Ragami Chaves Alves, Tácito Pessoa Souza Junior, Aldo Coelho, Sergio Gregorio Da Silva

Resumo


O objetivo do presente estudo foi avaliar a percepção subjetiva do esforço comparando a PSE-T final em relação a PSE-S, bem como, comparar se a média da PSE-T corresponde a PSE-S. Foram avaliadas 14 mulheres com idade entre 65 a 75 anos suficientemente ativas com um IMC de ? 20 kg.m-2 ? 25,0 kg.m-2. As participantes realizaram uma sessão de treinamento com pesos composta por cinco exercícios, (supino reto máquina, cadeira extensora, puxada aberta frontal, mesa flexora e levantamento lateral), sendo executado para cada um deles 3 séries de 8-10 repetições a 70% de 1RM com 1’de intervalo entre as séries. Ao final de cada série foi reportada a PSE-T e ao término da sessão após vinte a trinta minutos de descanso foi obtida a medida da PSE-S. Foi aplicado o teste de Kolmogorov Smirnov, constatando que os dados não apresentavam uma distribuição normal (p<0,05). Portanto, foi utilizado o teste de Wilcoxon com um nível de significância de p < 0,05 sendo comparado os valores de PSE-T obtidos somente na última série do último exercício com os valores de PSE-S, posteriormente a mesma análise foi utilizada para comparação da PSE-T com a PSE-S. Os resultados não apresentaram diferenças significativas entre PSE-T final e PSE-S, assim como, para a PSE-T com a PSE-S. Conclui-se que a PSE-S pode ser similar a PSE-T ou apresentar alguma relação a qual, não esta clara, diante disso, faz pensar que o valor da PSE-T como indicador de fadiga local no treinamento com pesos deva ser analisada com diferentes metodologias no futuro.
Palavras-Chaves: Idoso; Saúde do Idoso; Treinamento de Resistência; Percepção

Palavras-chave


Idoso; Saúde do Idoso; Treinamento de Resistência; Percepção

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v21i4.4554

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement