ASSOCIAÇÃO ENTRE ROTINAS DE ESTUDOS E DESEMPENHO ACADÊMICO EM UNIVERSITÁRIOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v22n4p13-21

Érico Felden Pereira, Jana Perrone Machado, Rubian Diego Andrade, Andreia Pelegrini

Resumo


O objetivo deste estudo foi investigar associações entre rotinas de estudos e desempenho acadêmico em universitários ingressantes no ensino superior em Educação Física (licenciatura e bacharelado). Refere-se a um estudo de acompanhamento no qual foram investigadas questões como as horas de estudos, rotinas de estudos e desempenho acadêmico no início da graduação em Educação Física e ao finalizar o primeiro semestre do curso de graduação. A média de idade dos 55 acadêmicos participantes do estudo foi de 21 anos. Por meio da análise de diferenças dos valores médios entre os grupos com o teste de Kruskal-Wallis, verificou-se redução nas horas semanais de estudo extracurriculares no curso de Bacharelado durante a primeira fase do curso. Os acadêmicos de ambos os cursos aumentaram os hábitos de realizar anotações em sala de aula, mas reduziram as leituras recomendadas pelo professor durante a primeira fase do curso. O índice acadêmico, com média de 7,7(1,0), não diferiu entre os cursos de licenciatura e bacharelado (p=0,242), porém foi verificado que as mulheres apresentaram índice acadêmico superior ao dos homens (p=0,003). A média de horas semanais de estudos, do grupo geral, na primeira avaliação foi de 5,8(6,5) horas e, na segunda avaliação, de 6,1(6,9) horas, sendo esta diferença não significativa (p=0,603). As variáveis de estudos correlacionadas com o desempenho acadêmico foram as horas de estudo (p=0,019), realização de anotações em sala de aula (p<0,001), realização de esquemas/resumos do conteúdo (p=0,028), buscar de materiais complementares sobre os conteúdos (p=0,029), realização das leituras recomendadas pelo professor (p=0,019) e contribuir nas discussões em sala de aula (p=0,010). Verificou-se, desta forma, que tanto as horas de estudos, como determinadas rotinas contribuem para um melhor desempenho acadêmico e devem ser estimulados nos novos universitários dos cursos de Educação Física.

Palavras-chave


educação física; ensino superior; avaliação educacional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v22i4.4801

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement