EFEITOS DA IMERSÃO NA ÁGUA SOBRE OS MARCADORES SIMPLES DE ESTADO DE HIDRATAÇÃO DURANTE UMA AULA DE HIDROGINÁSTICA - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v22n4p5-12

Sheilla da Silva Barroso, Bernadete Maria de Almeida, Wendell da Silva Gonzaga, Rafaela Lima Carvalho Pereira Lima, Saulo Rodrigo Alves e Silva Camerino, Eduardo Seixas Prado

Resumo


O conhecimento prático do estado de hidratação é importante para manutenção das funções fisiológicas. Alterações da massa corporal (MC) e índices urinários têm sido usados como marcadores simples de estado de hidratação. No entanto, exercícios aquáticos induzem alterações funcionais renais, como a diurese. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o estado de hidratação e os efeitos da imersão em água sobre os marcadores simples de estado de hidratação durante uma aula de hidroginástica. Cinquenta voluntários, com idade entre 25 e 58 anos, foram avaliados. O estado de hidratação foi determinado através da massa corporal (MC), coloração e gravidade específica urinárias (GE), coletadas antes (pré) e depois (pós) uma aula de hidroginástica. Alteração da MC foi utilizada para estimar a perda percentual da MC (? %). Dados são expressos em média ± SE. Foi utilizado o teste t de Student pareado para comparar as mudanças da MC, cor da urina e GE. Diferenças significativas foram consideradas com P < 0,05. Nenhuma diferença foi encontrada para MC pré e pós aula (72,81 ± 2,11 kg contra 72,73 ± 2,12 kg , P = 0,441), com ? % de ~ - 0,11 ± 0,08% . Houve uma diminuição significativa entre pré e pós aula na cor da urina (4,0 ± 0,2 versus 2,9 ± 0,2, P = 0,001) e GE (1,019 ± 1,11 contra 1,014 ± 1,11, P = 0,001), respectivamente. Concluiu-se que foram observados níveis de desidratação entre os participantes antes da aula de hidroginástica. Por outro lado, os resultados sugerem que os marcadores simples de estado de hidratação não devem ser utilizados para avaliar o estado de hidratação durante o exercício aquático devido ao estímulo de alguns hormônios na imersão em água.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v22i4.4806

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement