PREVALÊNCIA DE INATIVIDADE FÍSICA EM ADOLESCENTES E SUA ASSOCIAÇÃO COM VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v23n4p80-93

Alvaro Adolfo Duarte Alberto, Aylton José Figueira Junior

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v23n4p80-93

A prevalência de inatividade física entre os adolescentes tem sido amplamente descrita na literatura nacional e internacional, especialmente em alguns subgrupos dessa população. Este estudo objetivou estimar a prevalência de inatividade física em adolescentes escolares do ensino fundamental do Município de Macapá/AP, e analisar sua associação com variáveis sociodemográficas. Trata-se de um es¬tudo transversal, realizado com 1.060 adolescentes de ambos os sexos de 10 a 15 anos, matriculados na rede pública estadual de ensino do Município de Macapá/AP. A inatividade física (variável dependente) foi mensurada com o IPAQ curto e definida como praticar atividade física moderada e/ou vigorosa por um período ? 300 minutos por semana. As informações sociodemográficas (variáveis independentes) analisadas foram: idade; estado antropométrico (IMC); condição socioeconômica; escolaridade dos pais; residência com ou sem esgoto canalizado e; residência localizada em rua com ou sem asfalto. Na análise multivariável recorreu-se à regressão logística Stepwise, tendo a prevalência e a probabilidade como medidas de associação à inatividade física. Os resultados indicam que cerca de sete em cada dez adolescentes de ambos os sexos foram classificados como inativos fisicamente (69,5% (I.C 95%=66,7-72,9), sendo mais pronunciada do sexo feminino e no grupo etário de 12-13 do sexo masculino. Para variáveis associadas a maior proporção de inatividade física ocorreu em adolescentes do sexo feminino pertencentes à classe socioeconômica C, (O.R=5,10; IC=1,63-15,94), nos estudantes do período vespertino e nos que residem em ruas sem asfalto e sem esgoto canalizado. Conclui-se que a proporção de inatividade física em adolescentes escolares do ensino fundamental do Município de Macapá/AP foi elevada que este grupo necessita de ações de intervenção que visem o aumento do nível de atividade física.

Palavras-chave


Inatividade física; Fatores de Risco; Adolescência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v23i4.5621

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement