ANÁLISE DA FORÇA DE PREENSÃO PALMAR E OCORRÊNCIA DE QUEDAS EM IDOSAS.

Autores

  • Graziela Morgana Silva Tavares Universidade Federal do Pampa - Unipampa
  • Daniela Virote Kassick Müller Universidade Federal do Pampa - Unipampa e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS
  • Roger Nery Fão Universidade Federal do Pampa - Unipampa
  • Vanusa Manfredini Universidade Federal do Pampa - Unipampa
  • Jacqueline Da Costa Escobar Piccoli Universidade Federal do Pampa - Unipampa
  • Rodolfo Herberto Scnheider Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS

DOI:

https://doi.org/10.18511/rbcm.v24i3.5723

Resumo

Introdução: Dados da literatura evidenciaram que mulheres idosas sofrem mais quedas do que homens. Tal condição cria uma maior preocupação com a população de mulheres idosas e seu processo de envelhecimento. Objetivo: Verificar a força de preensão palmar em idosas caidoras e não caidoras. Método: Foram avaliadas 121 idosas com idade ? 60 anos, divididas em dois grupos conforme histórico de quedas: caidoras (n = 48) e não caidoras (n = 73). A força muscular foi mensurada pela força de preensão palmar por meio de dinamômetro hidráulico. Para comparar a força palmar de idosas caídoras e não caidoras foi utilizado o teste t de Student para amostras independentes. Resultados: Foi evidenciado diferença estatística significante entre os grupos (p=0,005), sendo que as idosas caidoras possuem menor força de preensão palmar quando compadas às não caidoras. Conclusão: Idosas caidoras têm menor força de preensão palmar quando comparadas com as não caidoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Graziela Morgana Silva Tavares, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Professora Adjunto do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Pampa - Unipampa - Doutora em Gerontologia Biomédica (PUCRS), Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), graduada em Fisioterapia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Daniela Virote Kassick Müller, Universidade Federal do Pampa - Unipampa e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS

II Doutoranda em Gerontologia Biomédica (PUCRS), Mestre em Engenharia de Produção com ênfase em Ergonomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil. Professora Assistente do Curso de Fisioterapia da Univesidade Federal do Pampa (Unipampa). E-mail:

Roger Nery Fão, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Discente do curso de Farmácia da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Urugaiana, RS, Brasil.

Vanusa Manfredini, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Doutora em Biologia Celular e Molecular. Docente da Universiade Federal do Pampa (Unipampa),Uruguaiana,RS,Brasil.

Jacqueline Da Costa Escobar Piccoli, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

VDoutora em Biologia Celular e Molecular. Docente da Universiade Federal do Pampa (Unipampa),Uruguaiana,RS, Brasil.

Rodolfo Herberto Scnheider, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS

Doutor em Medicina e Ciências da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) (Ph.D.), Professor do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-09-10

Edição

Seção

Artigo Original