O TEMPO DE NÃO TRABALHO E O LAZER DOS TRABALHADORES TERCEIRIZADOS DA VIGILÂNCIA DA UNICAMP: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS GÊNEROS

Bruno Modesto Silvestre, Olívia Cristina Ferreira Ribeiro, Silvia Cristina Franco Amaral

Resumo


O objetivo desta pesquisa consistiu em analisar as diferenças existentes no tempo de não trabalho e nas práticas de lazer entre os trabalhadores terceirizados da vigilância que atuam na Universidade Estadual de Campinas dos gêneros masculino e feminino. Como metodologia utilizou-se de entrevistas semiestruturadas atreladas à técnica de pesquisa sobre os usos do tempo, de análises das jornadas de trabalho, remuneração mensal e quantidade de horas semanais dedicadas ao trabalho doméstico não remunerado de 14 vigilantes do gênero masculino e 9 do gênero feminino. Observou-se discrepâncias no tempo de não trabalho e nas práticas do lazer entre os gêneros, de modo que as mulheres trabalhadoras terceirizadas foram as que apresentaram menos tempo de não trabalho e menor quantidade de horas dedicadas às práticas e vivências de lazer. Além disso, foi constatado que as manifestações do fenômeno lazer entre as trabalhadoras terceirizadas foram caracterizadas por menor heterogeneidade, se comparadas ao gênero masculino, e se restringiram, em grande medida, à esfera doméstica.

Palavras-chave


Lazer; Não Trabalho; Terceirização; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v24i4.6754

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement