CONTROLE POSTURAL NA INFÂNCIA: EFEITOS DO MÉTODO PILATES SOBRE O EQUILÍBRIO

Thaila Thaiane Garcia Nunes, Simone Lara, Susane Graup, Lilian Pinto Teixeira, Rodrigo de Souza Balk

Resumo


O objetivo do estudo foi analisar os efeitos do Método Pilates (MP) sobre o equilíbrio postural de crianças. Foi incluída uma amostra de conveniência formada por crianças de 06 e 07 anos, ambos os sexos, avaliadas pré e pós-intervenção, por meio de medidas antropométricas (massa corporal e da estatura), e avaliação do equilíbrio postural, através da posturografia dinâmica computadorizada, com os testes de organização sensorial (TOS), divididos em seis condições e o valor de composite, que avaliam os sistemas neurais responsáveis pela manutenção da estabilidade corporal (vestibular, visual e proprioceptivo). O MP foi praticado pelas crianças durante cinco meses, com duração de 50 minutos e com frequência de uma vez por semana, totalizando 20 sessões. Após a intervenção, houve um aumento dos valores dos TOS nas condições VI e no valor de composite, no grupo geral e no grupo feminino, e aumento na condição IV no grupo geral. Foi possível identificar uma redução significativa de déficits na condição VI no grupo geral e no grupo feminino, bem como no valor de composite apenas no grupo feminino, após a intervenção. Em relação ao comportamento dos sistemas neurais, houve um melhor desenvolvimento do sistema visual, bem como uma redução dos déficits no sistema vestibular, no grupo geral. A prática dos exercícios do MP foi eficaz para a melhora do equilíbrio postural de crianças, melhorando a integração e utilização dos sistemas visual e vestibular. Quanto ao sexo, a melhora foi mais expressiva nas meninas e sugere-se que fatores comportamentais e de maturação estejam envolvidos nesse processo.

Palavras-chave


Criança; Equilíbrio postural; Atividade motora.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v27i1.7619

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement