EFEITOS DA PRÁTICA DE AERO JUMP E CICLISMO INDOOR NA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE MULHERES SEDENTÁRIAS

Marla Patricia Pretto de Pellegrin, Daniele Borba de Assunção Santiago, Daniela Lopes dos Santos

Resumo


Este estudo teve como objetivo comparar os efeitos de 12 semanas de treinamento de Aero Jump e Ciclismo Indoor sobre a composição corporal de mulheres sedentárias. Foram avaliadas 20 mulheres de 20 a 38 anos de idade. Os procedimentos utilizados para avaliação da composição corporal foram: verificação da massa corporal, estatura e dobras cutâneas incluindo 7 dobras (tricipital, subescapular, peitoral, axilar média, supra ilíaca, abdominal vertical e coxa medial). As variáveis utilizadas foram o percentual de gordura, o somatório de dobras cutâneas e o índice de massa corporal. O pré-teste foi realizado antes da primeira semana de atividades e o pós-teste ao final de 12 semanas do treinamento. Para análise foi utilizada estatística descritiva, teste de Wilcoxon comparando os dados pré e pós-treinamento e Kruskal-Wallis para comparar os resultados entre os grupos, adotando-se um nível de significância de 5%. Como resultados, observa-se que no grupo que realizou o treinamento com Aero Jump houve diminuição na média do somatório de dobras cutâneas de 161,7±47,85 para 155,4±42,53 e no grupo que realizou o treino com Ciclismo Indoor as três variáveis sofreram diminuição, principalmente o percentual de gordura, diminuindo de 31,8±6,54% para 29,7±5,09%, porém estas alterações não foram estatisticamente diferentes. Concluiu-se que um período de 12 semanas de treinamento, tanto de Aero Jump como de Ciclismo Indoor, não foi suficiente para produzir alterações estatisticamente significativas sobre as variáveis estudadas, apesar de ter se observado uma diminuição. Talvez o período de treino de 12 semanas não tenha sido suficiente para produzir resultados significativos, sugerindo-se um tempo maior do que 12 semanas.

Palavras-chave


composição corporal; ginástica; mulheres

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v26i1.7720

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement