Composição corporal, limiar anaeróbio e consumo máximo de oxigênio de atletas de Futsal: analise descritiva entre as posições

Aparecido Pimentel Ferreira, Sérgio Adriano Gomes, Hélcio R. Gonçalves, Nancí Maria de França

Resumo


Introdução: o futsal é um esporte dinâmico e dependendo das movimentações do jogo, ocorre grande acúmulo de ácido láctico, tornando a capacidade e a potência aeróbia qualidades físicas essenciais na manutenção das intensas movimentações características desta modalidade. Objetivo: descrever as características da composição corporal, limiar anaeróbio e o consumo máximo de oxigênio nas diferentes posições do futsal. Materiais e métodos: participaram do estudo 22 atletas integrantes da seleção brasiliense de futsal, com idade entre 23 e 32 anos. A composição corporal com as variáveis: peso, estatura e dobras cutâneas foram feitas de acordo com os procedimentos descritos por Petroski, 1995. O VO2 máximo foi mensurado em esteira ergométrica com protocolo de rampa até atingir a fadiga voluntária. As trocas gasosas foram coletadas e medidas a cada ventilação. O limiar anaeróbio foi determinado com base nos equivalentes metabólicos de oxigênio e gás carbônico. A normalidade dos dados foi testada e utilizada a Estatística Descritiva e Analise de Variância com comparações múltiplas através do Bonferroni Post Hoc Test. O nível de significância p < 0,05 foi usado para apontar as diferenças significativas. As análises foram realizadas no programa SPSS 11.5. Resultados: os atletas apresentaram idade média de 26,9 ± 3,6 anos, massa corporal 72,7 ± 12,9kg, estatura 175,2 ± 6,9cm, gordura corporal 13 ± 5,7%, VO2 máximo 52,8 ± 6,4 ml/kg/min-1 e limiar anaeróbio 45,7 ± 5,7 ml/kg/min-1. Conclusão: a massa corporal dos alas foi menor que os goleiros e o VO2 máximo e o limiar anaeróbio dos alas foi superior aos goleiros.

Palavras-chave


capacidade aeróbia; potência anaeróbia; gordura corporal; VO2 máximo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v16i3.824

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement