Atividade física e diabetes: uma revisão dos efeitos do exercício na cardiomiopatia diabética

Márcia Ferreira da Silva, Miguel Araujo Carneiro Júnior, Antônio José Natali

Resumo


Resumo

A hiperglicemia crônica resultante do diabetes mellitus causa sérios danos ao organismo. A cardiomiopatia diabética é um destes danos e caracteriza-se por acúmulo de colágeno na musculatura cardíaca, distúrbios nos mecanismos reguladores da homeostasia de cálcio, redução da sensibilidade dos miofilamentos ao cálcio e redução da contratilidade e distensibilidade cardíaca. Tais alterações causam disfunções sistólicas e diastólicas que comprometem a bomba cardíaca. O tratamento farmacológico com insulina e hipoglicemiantes orais tem sido recomendado, assim como a prática regular de atividade física e modificações na dieta. O exercício físico aumenta o metabolismo de glicose e ácidos graxos no músculo cardíaco e pode melhorar a função ventricular esquerda o que pode atenuar as alterações cardíacas decorrentes do diabetes mellitus. O objetivo dessa revisão foi discutir os efeitos do exercício físico sobre a cardiomiopatia diabética, tanto em seres humanos quanto em modelos experimentais de diabetes.

Palavras-chave


diabetes mellitus, exercício, miócitos cardíacos, coração, cálcio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v17i2.878

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement