IMPACTO DE UM PROGRAMA NÃO SUPERVISIONADO DE CAMINHADA NO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E ESTÁGIOS DE COMPORTAMENTO NA COMUNIDADE

leonardo Jose da Silva

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar o impacto de um programa não supervisionado de caminhada sobre o nível de atividade física e mudança dos estágios de comportamento na comunidade. A amostra foi composta por 114 indivíduos, de ambos os gêneros, com média de idade de 38,14±11,41 anos. O presente estudo foi dividido em dois momentos, totalizando 33 semanas, sendo: 16 semanas com orientação de um profissional e 17 semanas sem supervisão do grupo de caminhada por um profissional. Foi utilizada análise descritiva, análise de variância não paramétrica, delta percentual, Qui-Quadrado e análise de regressão univariada, sendo o nível de significância adotado de p<0,05. Foram classificados como insuficientemente ativos 68% dos indivíduos e apenas 32% como suficientemente ativos. Após o período de orientação foi observado 43% de indivíduos insuficientemente e 57% indivíduos suficientemente ativos. Após 17 semanas sem supervisão as proporções foram parecidas com o momento de orientação, sendo estas diferentes do “baseline” (p<0,05). Foi observada uma diminuição de 97,14% entre os indivíduos classificados como pré-contemplativos entre o momento inicial e o momento de orientação e aumento de 96,3% nos indivíduos classificados no estágio de manutenção no mesmo período.. Programas não supervisionados de caminhada aumentam o nível de atividade física. O conhecimento adquirido durante o processo de orientação e o desenvolvimento da habilidade para a caminhada possivelmente influenciaram na manutenção do nível de atividade física a curto e médio prazo após a suspensão da orientação para a prática da caminhada.

Palavras-chave


Atividade Física, Estágios de Comportamento, Caminhada

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v16i4.914

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement