A INTERFERÊNCIA AMBIENTAL SOBRE OS NÍVEIS DE CORTISOL SALIVAR E LACTATO DURANTE A CORRIDA EM ATLETAS

Priscila Garcia Marques da Rocha, José Luiz Lopes Vieira, Solange Marta Franzói de Moraes

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da alteração ambiental no nível de cortisol salivar e concentração de lactato sanguíneo de atletas de Handebol durante a corrida em esteira. Dezoito atletas participaram de quatro triagens experimentais de corrida em esteira com duração de 20 minutos a 70% de velocidade de pico. Os atletas foram orientados para correr: Na “Linha de base”, durante 20 min.; na segunda triagem experimental durante 10 minutos, sendo que no 10º minuto receberam a instrução para correr durante mais 10 minutos (fragmentada); na terceira triagem experimental durante 10 minutos e no 10º minuto foram informados que deveriam correr mais 20 minutos (superestimada); na quarta triagem experimental os atletas não receberam informação sobre a duração da corrida (indefinida). Durante as triagens experimentais foram avaliados: freqüência cardíaca, cortisol salivar e lactato sanguíneo. A ANOVA two-way foi usada para verificar diferenças estatisticamente significativas (p<0,05). Foram verificadas diferenças estatisticamente significativas para as triagens experimentais “fragmentada” e “superestimada” no nível de cortisol salivar (nmol/l) ao 11º minuto (11,59±1,92, *p=0,042) e (10,60±1,48, *p=0,046), e para a concentração de lactato sanguíneo (mM) no pós-teste (17,28±1,82) e (17,19±1,01), respectivamente. Os resultados sugerem que o efeito do ambiente é uma interferência importante na resposta metabólica durante o exercício físico.

Palavras-chave


Corrida; Cortisol; Lactato

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v17i1.962

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement