SÍNDROME DE BURNOUT E TEMPO DE PRÁTICA EM ATLETAS DE ESPORTES DE COMBATE

Jhonatan Wélington Pereira Gaia, Victor Silveira Coswig, Rodrigo Weyll Ferreira, Eduardo Macedo Penna, Daniel Alvarez Pires

Resumo


O objetivo do estudo foi investigar se o tempo de prática como atleta federado afeta a percepção das dimensões de burnout em esportes de combate. A amostra foi composta por 36 atletas, todos do sexo masculino, praticantes de modalidades esportivas de combate. O instrumento utilizado foi o Questionário de Burnout para Atletas (QBA). Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial. Os resultados mostraram que os atletas estão em condições desejáveis do ponto de vista psicofisiológico. A dimensão exaustão física e emocional apresentou os menores indicadores (1,4), sendo significativamente menor quando comparada à dimensão reduzido senso de realização esportiva (2,0) (p=0.004), indicando a ausência de sobrecarga psicofisiológica. No entanto, ao considerarmos o tempo de prática dos participantes, a dimensão reduzido senso de realização esportiva foi significativamente maior nos atletas menos experientes (p=0,02). Portanto, atletas menos experientes apresentaram os maiores indicadores nesta dimensão, o que demanda cuidado no estabelecimento de metas nos anos iniciais para os atletas de modalidades esportivas de combate.

Palavras-chave: Burnout; Psicologia do esporte; Esporte de combate

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbpe.v10i3.11846