O SENTIDO VIVIDO DA CAPOEIRA: CUMPLICIDADE, RISCO, AUTENTICIDADE E CRIATIVIDADE

Pedro Henrique Martins Valério, Cristiano Roque Antunes Barreira

Resumo


O objetivo do presente trabalho é identificar e analisar o sentido vivido da capoeira por meio de relatos cedidos pelos Mestres acerca da prática desta manifestação. Vale-se de uma metodologia de inspiração fenomenológica para acessar suas vivências. Realizam-se, para tanto, entrevistas abertas em profundidade, seguidas de uma análise inspirada na arqueologia fenomenológica. Os resultados obtidos apontam para as ações destinadas a ampliar um estilo de lidar com o risco e o perigo em meio à cumplicidade entre os jogadores. Viver a capoeira implica ter sedimentadas e disponibilizadas em si mesmo essas ações, evocando um estilo de estar no mundo cuja sensibilidade corporal pauta valores e gestos reconhecidamente pertinentes à cultura capoeira, mas também reconhecidamente tendendo ao desenvolvimento de uma autenticidade e criatividade pessoais com relação à renovação dos modos de expressão da capoeira a partir de si mesmo.

 

Palavras chave: capoeira, fenomenologia, sentido vivido, artes marciais


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbpe.v6i1.6723