MÍDIA EM FAMÍLIA: ASPECTOS DAS RELAÇÕES INTERGERACIONAIS NO CONTEXTO DAS REDES SOCIAIS NA INTERNET

Renata Alves de Albuquerque Othon

Resumo


Este artigo tem como base temática dois aspectos da infância: primeiro, a centralidade do consumo midiático digital no cotidiano e na construção dos relacionamentos sociais das crianças com diversos públicos; segundo, a relevância da instituição familiar nos processos de socialização na infância. Busca-se, a partir de então, identificar que dinâmicas e relações de poder no ambiente doméstico são articuladas a partir dos usos das TICs, com ênfase nas redes sociais na internet. O arcabouço teórico é fundamentado na abordagem da Economia Moral da Família e do Lar (SILVERSTONE; HIRSCH; MORLEY, 1996). Os resultados apresentados decorrem da Análise de Conteúdo Temática (BARDIN, 2011) aplicada nas transcrições de seis grupos focais realizados com 28 crianças entre 10 e 12 anos, estudantes de duas escolas em Natal/RN, uma do ensino privado e outra do ensino público. O estudo sinaliza a presença de formatos de mediação parental restritivo, ativo e de coutilização, que variam segundo os contextos socioeconômicos investigados; distintos pontos de vista de adultos e crianças sobre competências digitais, embasados na construção social da criança e do adolescente como um agente consumidor; e o fenômeno do compartilhamento de imagens da família, que podem representar reforços de estereótipos e status sociais ou uma forma de aproximação com os filhos. Tais aspectos evidenciam a necessidade do diálogo entre pais e filhos e a urgência em se reconhecer a importância do papel da educação midiática para ambos.

Palavras-chave


Crianças; Redes Sociais na Internet; Economia Moral da Família e do Lar; Consumo Midiático; Mediação parental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/comunicologia.v14i1.12846