“O real se dispõe para a gente é no meio da travessia”: A transmetodologia na pesquisa dos processos midiáticos em uma comunidade indígena baiana

Autores

  • Helânia Thomazine Porto Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.31501/comunicologia.v9i1.6679

Resumo

Neste texto buscamos problematizar acerca das epistemologias eleitas para a apreensão de como os indígenas da Reserva da Jaqueira – Porto Seguro (BA), da etnia Pataxó, estão utilizando os meios de comunicação e informação, levando em consideração os seus desejos de ampliação dos contextos de interação social, ao mesmo tempo em que buscam a recuperação e preservação de suas tradições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helânia Thomazine Porto, Universidade do Estado da Bahia

Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, no Departamento de Educação - Campus X.  Doutoranda em Ciência da Comunicação: processos midiáticos, pela UNISINOS - RS.  Membro do Grupo de Estudos Interdisciplinares em Cultura, Educação e Linguagens - GEICEL (CNPq/CAPES/UNEB), atuante na linha de pesquisa: Língua, linguagens, significação e identidade e do Grupo de Pesquisa Processos Comunicacionais: epistemologia, midiatização, mediações e recepção PROCESSOCOM (CNPq/CAPES/UNISINOS).

Downloads

Publicado

2016-08-14

Como Citar

Porto, H. T. (2016). “O real se dispõe para a gente é no meio da travessia”: A transmetodologia na pesquisa dos processos midiáticos em uma comunidade indígena baiana. Comunicologia - Revista De Comunicação Da UCB, 9(1), 158-172. https://doi.org/10.31501/comunicologia.v9i1.6679

Edição

Seção

Epistemologia da Comunicação