Gênero, Sexo e Desejo: a educação infantil como estratégia de controle dos corpos.

Autores

  • Fernanda Querino Pernica Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho

Resumo

Este texto tem como objetivo evidenciar e criticar as práticas e atividades que reiteram discursos heteronormativos na educação infantil, atravessando e capturando os indivíduos na construção de sua identidade, a qual deveria ser autônoma e acontecer com maior liberdade. Há, sem dúvidas, um intenso controle dos corpos em todos os âmbitos de nossa cultura reproduzido por essa educação. É justamente essa violação de direitos e da liberdade individual de desejar que se pretende evidenciar com esse texto, pois pessoas são oprimidas, excluídas e sofrem inúmeras injustiças e torturas por não se enquadrarem no ‘trio alinhado’ (sexo/gênero/desejo) considerado ideal e normal pelos porta-vozes autorizados (ciência, religião, política, etc.). Para tanto, se verificarão nesse texto como surgiram a educação infantil, os estudos sobre a sexualidade humana e a conseqüente definição do hetero e do homossexual e pra sustentarem quais poderes, e como isso se reproduz dentro da educação infantil ainda nos dias de hoje. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Querino Pernica, Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho

Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho em Assis-SP; Cursando Especialização em Psicologia Jurídica na Universidade do Oeste Paulista em Presidente Prudente-SP.

Downloads

Publicado

2014-12-19

Edição

Seção

Artigos