A CONDENAÇÃO DO BRASIL NA CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS PELO CASO HERZOG E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O DIREITO INTERNACIONAL

Autores

  • Álvaro Ricardo de Souza Cruz UCB
  • Ana Clara Mansur Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.31501/repats.v5i2.10348

Resumo

A data é o dia 25 de outubro de 1975, um sábado nublado na cidade de São Paulo. Vladimir Herzog consultou o relógio e viu que já eram sete horas da manhã. Do lado de fora a claridade começava a se fazer cada vez mais presente. Sentiu o peso de Clarice ao seu lado no colchão e seu coração encheu-se de compaixão, pois aquela madruga tinha sido particularmente penosa para a sua esposa. Na noite anterior, o seu lugar de trabalho havia sido invadido por dois agentes que queriam levá-lo para prestar esclarecimentos sobre suas supostas ligações com o Partido Comunista Brasileiro. O tom dos oficiais era truculento. Eles queriam acompanhá-lo imediatamente para a sede do DOI-CODI, mas Vlado não estava de acordo. Ele insistiu e prometeu se apresentar espontaneamente na manhã seguinte. Dentro do seu coração, sabia que a única coisa que queria realmente era ir para casa, abraçar Ivo e André, seus filhos de 9 e 7 anos, e beijar Clarice. De repente parecia que mais nada no mundo importava, pelo menos até a manhã seguinte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Álvaro Ricardo de Souza Cruz, UCB

Procurador da República em Minas Gerais. Mestre em Direito Econômico e Doutor em Direito Constitucional pela UFMG. Professor da Graduação e da Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Vice-Presidente do Instituto Mineiro de Direito Constitucional. Membro do Instituto de Hermenêutica Jurídica/MG.

Ana Clara Mansur Carvalho

Graduanda em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Downloads

Publicado

2019-02-27

Edição

Seção

Artigos