EFEITO DA FADÍGA MUSCULAR NA CINEMÁTICA DA CORRIDA DE CORREDORES AMADORES DE LONGA DISTÂNCIA

Autores

  • Daniel Pereira da Silva UNIEURO - DF
  • Anderson de Souza Castelo Oliveira UNIEURO - DF

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar o efeito da fadiga muscular, induzida por uma sessão de treinamento intervalado, em parâmetros cinemáticos da corrida em esteira. Dez voluntários do sexo masculino (25±5,61 anos; 73,97±9,68 Kg; 173,18±4,73 cm; 11,65±4,73 % de gordura; 38,7±2,56 cm de fêmur; 40,4±1,94 cm de tíbia), realizaram os seguintes testes: a) teste incremental para a determinação do limiar anaeróbio (LAn) e também da velocidade máxima aeróbia (vMAX); b) teste no limiar anaeróbio (LIMIAR-1), que consistiu em aquecimento de 3 min. e corrida na intensidade do LAn por outros 3 min.; c) teste intervalado (8 séries de 1 minuto na intensidade máxima do teste incremental, com um minuto de recuperação ativa a 50% da velocidade máxima) 15 min. após LIMIAR-1 d) imediatamente após o teste intervalado, foi realizado novo exercício de 3 min. na intensidade do LAn (LIMIAR 2). Para os testes LIMIAR-1 e LIMIAR-2 foram registrados os valores de concentrações de lactato sanguíneos [LAC], glicose [GLI], frequência cardíaca (FC), amplitude (AP), frequência de passadas (FP), ângulo do quadril no apoio anterior(AQAA) e ângulo do quadril no balanço anterior (AQBA). Para analise das variáveis fisiológicas (lactato, freqüência cardíaca e lactato) e cinemáticas (amplitude da passada, freqüência de passada, angulo do quadril na fase do balanço anterior e apoio anterior) coletadas no LIMIAR-1 e LIMIAR-2 foi utilizado o Teste estatístico de Wilcoxon para dados não-paramétricos, o nível de significância estabelecido será de p?0,05. Houve um aumento significativo do lactato sanguíneo (2,8 para 10,47 mM), freqüência cardíaca (82,5 para 135,4 bpm) e glicose (95,6 para 133,5mM) caracterizando condição de fadiga muscular pós-teste intervalado. O ângulo do quadril diminuiu tanto no balanço anterior (147° para 145°) como no apoio anterior (157° para 155°), aumentando a freqüência de passada (82,2 para 85,5 passadas/minuto). Conclui-se com presente estudo, que o exercício intervalado provocou fadiga muscular, e como conseqüência, ocorreram alterações em parâmetros cinemáticos , influenciando a técnica da corrida e consequentimente o desempenho. Palavra chave: Lactato, biomecânica da corrida, fadiga.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Pereira da Silva, UNIEURO - DF

Bornalista, webdesign

Anderson de Souza Castelo Oliveira, UNIEURO - DF

Professor orientador do Curso de Educação Física do UNIEURO Brasília/DF/Brasil.

Downloads

Edição

Seção

Interação