O INTERVALO DE RECUPERAÇÃO ENTRE SÉRIES DE CONTRAÇÃO ISOCINÉTICA INFLUENCIA A RESPOSTA PERCEPTUAL EM IDOSOS

Carlos Ernesto, Lucas Vilela Mendes, Thiago Santos da Silva, Fernando Lourenço Rodrigues

Resumo


O treinamento resistido é recomendado no tratamento bem como prevenção de doenças relacionadas ao envelhecimento. Neste sentido, a correta utilização das variáveis volume e intensidade pode determinar o sucesso ou o fracasso do programa. A utilização do índice de percepção de esforço tem sido freqüentemente aplicada como parâmetro no controle da intensidade do exercício resistido. Objetivo: Comparar diferentes intervalos de recuperação entre séries de contração isocinética na resposta perceptual em idosos. Métodos: 20 idosos (68,67 ? 3,67 anos) ativos participaram de 3 sessões de treinamento resistido isocinético da musculatura extensora do joelho. Foram utilizadas 3 séries de 10 repetições em cada velocidade angular (60, 90 e 120°/s) totalizando 9 séries por sessão de treino. No intuito de induzir diferentes intensidades de treinamento foram aplicados os intervalos de recuperação específicos para cada sessão (1min , 2min e 3 min). Tanto em repouso quanto imediatamente após a execução das 9 séries foram coletados o Índice de Percepção de Esforço (IPE) através da escala OMNI-RES proposta por Robertson (2003). ANOVA para medidas repetidas foi utilizada visando detectar diferenças do IPE tanto intra quanto entre as diferentes sessões.

Palavras-chave


Educação Física, Esportes

Texto completo:

PDF