PERFIL ANTROPOMÉTRICO E SOMATOTIPICO DE POLICIAIS DO BOPE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Rodrigo Kretzer da Luz, Ricardo Dantas de Lucas, Fabrizio Caputo

Resumo


Os aspectos antropométricos de policias militares (PMs), têm sido pouco investigados no Brasil. Assim o objetivo deste estudo foi verificar as características antropométricas e morfológicas de PMs do BOPE de Santa Catarina. Também foi objetivo correlacionar os índices antropométricos relacionados à saúde com o tempo de serviço na policia. Foram analisados nove policiais do gênero masculino (idade: 38 ± 5,7 anos; tempo médio de serviço na policia: 16,9 ± 5,1 anos) que atuam no grupo COBRA do BOPE. Além da somatotipia, os seguintes índices foram determinados: índice de massa corpórea (IMC), razão cintura-quadril (RCQ), índice de Conicidade (Índice C) e percentual de gordura corporal (%G). Os valores médios ± desvio padrão dos índices antropométricos analisados foram: IMC= 25,1 ± 2,3; RCQ= 0,91 ± 0,05; Índice C= 1,21 ± 0,03; %G= 16,1 ± 4,4%. Não foi encontrada nenhuma correlação significante entre os diferentes indicadores antropométricos e o tempo de serviço na polícia. Em relação ao somatotipo dos PMs, foi observado um maior componente de mesomorfia para 6 dos 9 policiais analisados. O somatotipo médio foi classificado como endo-mesomorfo. Conclui-se que os PMs do grupo COBRA/BOPE avaliados no presente estudo apresentam de baixo a moderado risco de saúde quando analisadas às variáveis antropométricas relacionadas a desenvolvimento de doença cardiovascular. Com relação às características somatotipológicas, existe uma tendência em apresentarem uma grande muscularidade, possivelmente devido ao tipo de atividades laborais envolvidas.

Texto completo:

PDF