A identidade nacional e os atletas brasileiros: Éder Jofre e seu lugar na memória

Autores

  • Márcio Humberto Souza UCB
  • Prof.Dr.Luiz Otávio Telles Assumpção UCB

Resumo

Resgatar a memória do titulo mundial conquistado por Éder Jofre significa valorizar momentos dignificantes do esporte brasileiro e mundial. Esportistas, de certa forma, são referências, símbolos e ícones de uma população. São glorificados, aplaudidos, referenciados valorizados e, pelos mais fanáticos, até idolatrados. Seus atos espetaculares e inauditos provocam verdadeiros estados de êxtase na audiência, uma verdadeira catarse se manifesta no público. Entretanto, este estado é fugaz e efêmero. Ao fim de suas carreiras os atletas geralmente são esquecidos e relegados ao ostracismo. Poucos se lembram de seus grandes feitos, de suas geniais performances, de sua destreza, de seus momentos gloriosos. As memórias destes momentos acabam se perdendo. É importante que tenhamos uma maior responsabilidade e consciência no que diz respeito à valorização de nossos atletas que, de alguma forma, contribuíram para a construção de uma historia sincera e autêntica. Este estudo tem o objetivo de resgatar a memória e o significado simbólico e cultural do inédito e único titulo mundial de boxe, na categoria “pena”, conquistado pelo brasileiro Éder Jofre, em Brasília, no dia 05 de maio de 1973. Para isso foi realizada uma pesquisa qualitativa com base em análise de discurso das matérias publicadas no Jornal Correio Braziliense do dia 01 de maio de 1973 ao dia 10 do mesmo mês e ano. Os resultados desta análise mostram que Éder Jofre é símbolo nacional do esporte. No entanto, uma pesquisa feita nos mostra que não lhe é dado o devido destaque.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Humberto Souza, UCB

autor do artigo.

Prof.Dr.Luiz Otávio Telles Assumpção, UCB

Orientador do Artigo

Downloads

Publicado

2008-02-28

Edição

Seção

Interação