ANÁLISE DE VARIÁVEIS ESPAÇO-TEMPORAIS DURANTE A LOCOMOÇÃO EM ESTEIRA, COM DIFERENTES GRADIENTES

Matheus Marques, Marcelo Costa de Paula, Mário Hebling Campos

Resumo


A marcha e a corrida são caracterizadas por movimentos cíclicos e de alta reprodutibilidade, o que as qualificam como valiosas fontes de informações a respeito da condição biomotora. Sabe-se que a postura corporal é extremamente sensível à velocidade, tipo de locomoção e inclinação do terreno no qual se caminha ou corre. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi analisar o comprimento e a freqüência da passada, durante a locomoção em esteira, com diferentes gradientes. Os voluntários foram submetidos às velocidades de 1,5 m/s (marcha) e 2,2 m/s (corrida) nos seguintes gradientes: -6º (descida); 0º (plano); e +6º (subida). A amostra foi composta por quatro sujeitos saudáveis e ativos fisicamente, sendo três homens e uma mulher. O protocolo experimental teve início com a busca do melhor posicionamento da câmera de vídeo, com o intuito de obter o melhor enquadramento dos membros inferiores para quantificação das variáveis espaço-temporais (comprimento e freqüência da passada). Para verificar as diferenças entre as variáveis analisadas, em cada forma de locomoção, foi utilizada a anova one way e, quando necessário, o teste de Tukey para constatar entre quais situações tais variáveis distinguiram entre si. Em todas as análises foi adotada a significância estatística de 5% (p<0,05). Constatou-se que o comprimento aumentou e a freqüência da passada diminuiu, durante a caminhada, em decorrência do aumento do gradiente da esteira. Por outro lado, na corrida, dois voluntários apresentaram um comportamento inverso àquele encontrado durante a marcha e outros dois não apresentaram diferenças significativas nas variáveis cinemáticas investigadas.

Palavras-chave


Locomoção, gradiente, biomecânica, cinemática

Texto completo:

PDF