ORIENTAÇÃO MOTIVACIONAL DE METAS NA MODALIDADE DO BASQUETEBOL

Vinicius Barroso Hirota, Carlos Eduardo Lopes Verardi, Ademir De Marco

Resumo


O presente estudo tem por objetivo verificar a orientação motivacional com o uso da escala TEOSQ (TEOSQ – TASK AND EGO ORIENTATION IN SPORT QUESTIONAIRE), Questionário do Esporte de orientação para Tarefa ou Ego desenvolvido por Duda (1992), traduzido, adaptado e validado por Hirota e De Marco (2006), apresentando como proposta metodológica uma pesquisa experimental (MARCONI e LAKATOS, 2006), contando com 37 praticantes do basquetebol de idade entre 11 e 17 (média de idade de 14,02 +1,42 anos) da Cidade de São Caetano do Sul – São Paulo, Brasil. Como método estatístico utilizamos o software SPSS, versão 15.0, a fim de obter o Alfa de Cronbach e as médias, desvio padrão e mediana de cada orientação – meta de Tarefa e meta Ego. Observamos com os resultados que a escala apresenta bons valores referente a estatística de Alfa para Tarefa de 0.69 e Alfa para Ego de 0.67. As médias de idade entre 11 e 13 anos referente a orientação para tarefa foi de 4,60 (+0,62) e orientação para ego de 3,11 (+0,84); para idade entre 14 e 15 anos a média de tarefa foi de 4,23 (+0,78) e referente ao ego 2,74 (+1,02), e nas idade de 16 e 17 anos a média de orientação para tarefa foi de 4,78 (+0,1) e ego de 2,66 (+0,47). O resultado total do grupo referente a tarefa foi de 4,36 (+0,75) e ego de 2,83 (+0,97). Concluímos que o processo de validação esta de acordo com as expectativas, mostrando valores consistentes de Alfa, demonstrando assim que os alunos durante a aprendizagem do basquetebol são mais seguros de seus atos, mas otimistas, persistentes em seus objetivos e adotam uma postura de responsabilidade com o restante do time.

Palavras-chave


Basquetebol; Avaliação; Orientação Motivacional.

Texto completo:

PDF