A COMPOSIÇÃO CORPORAL E O DESEMPENHO MÁXIMO AERÓBIO DOS POLICIAIS DO BATALHÃO DE POLICIAMENTO ESCOLAR DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

Andre Moreira, Luis Beltrame, Laís Tonello, Daniel Boullosa

Resumo


RESUMO
O 1º Batalhão de Policiamento Escolar (1º BPEsc) da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) atua para a manutenção da paz e tranquilidade no ambiente escolar. Desta forma, a aptidão física (AF) e a saúde da tropa do 1º BPEsc é um aspecto de extrema importância que não foi ainda pesquisado. O presente estudo tem como objetivo verificar a correlação entre variáveis antropométricas e aptidão cardiorrespiratória (AC), bem como, analisar a eficácia dos testes de campo para mensurar a aptidão cardiorrespiratória dos policiais militares (PPMM). Participaram deste estudo 10 PPMM fisicamente ativos (idade: 37,2 ± 4,3 anos; massa corporal: 75,2 ± 8,5 kg; estatura: 173 ± 7,8 cm). Todos os participantes foram submetidos a uma avaliação antropométrica para determinação da composição corporal; e a dois testes de campo teste de corrida em pista da Universidade de Montréal (UMTT), e o teste de corrida de 12 minutos para a estimação do consumo máximo de oxigênio (VO2max). Os testes de campo de Cooper (12 minutos) e UMTT apresentaram valores estimados de VO2max de 49,5±3,9 e 41,7±4,7ml?kg-1?min-1, respectivamente. Foram observadas correlações expressivas entre o percentual de gordura (%G) e o VO2max estimado pelo UMTT (rho= -0,63); e o VO2max estimado pelo teste de 12 minutos (r= -0,62).O teste de campo UMTT revelou-se mais eficaz para medir a AC na tropa da PMDF, possivelmente devido ao maior esforço dos participantes em tal teste. As correlações observadas entre composição corporal e aptidão cardiorrespiratória demonstraram a influência que a composição corporal tem na AC o que reforça a importância do monitoramento da AC em PPMM para favorecer um melhor desempenho durante as atividades diárias.

Palavras-chave


aptidão física, saúde, aptidão cardiorrespiratória, corrida

Texto completo:

PDF