EFEITO DE DIFERENTES FREQUÊNCIAS DE TREINAMENTO SOBRE A FORÇA MUSCULAR ISOMÉTRICA DA COLUNA LOMBAR EM MULHERES PRATICANTES DE TREINAMENTO DE FORÇA

Wagner Almeida Guedes, Darlan Lopes Farias, Ramires Alsamir Tibana, Dahan da Cunha Nascimento, Denis Cesar Leite Vieira, Vitor Tajra, Jonato Prestes

Resumo


Introdução: O treinamento de força juntamente com sua frequência de treinamento tem sido considerado uma importante ferramenta e modalidade terapêutica, para manutenção da saúde e tratamento de várias condições musculoesqueléticas além da diminuição dos índices de adiposidade corporal, controle da pressão arterial, ganho de massa muscular, aumento da densidade mineral óssea, entre outros benefícios. Objetivo: Comparar o efeito de diferentes frequências no treinamento de força sobre a força muscular isométrica da coluna lombar e correlacionar à força muscular lombar isométrica com as variáveis hemodinâmicas e antropométricas. Métodos: Estudo transversal descritivo realizado no ano de 2012. A amostra foi composta por 50 mulheres treinadas com idade entre 30 e 50 anos. Utilizou-se o dinamômetro dorsal para mensurar os níveis de força muscular isométrica da coluna através do teste Back and Leg Dinamometer. Estatística: Para normalidade dos dados utilizou-se Shapiro Wilk e a correlação intragrupo da força lombar foi feita através da correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de ? ? 0,05. Resultados: As mulheres que treinavam de quatro a cinco vezes por semana apresentaram maiores valores de força isométrica lombar absoluta e relativa (p = 0,04 e 0,02), bem como menor circunferência do quadril (p = 0,03), mas não apresentou correlação intragrupo com variáveis antropométricas e hemodinâmicas. Conclusão: Uma frequência de treinamento de quatro a cinco vezes por semana resulta em maiores valores de força muscular isométrica lombar (relativo e absoluto) e menor circunferência do quadril.

Palavras-chave


Treinamento de força; Dinamômetro; Força Muscular Lombar

Texto completo:

PDF