EFEITO DE BRINCADEIRAS ATIVAS SOBRE O DESEMPENHO ESCOLAR EM CRIANÇAS

Marcela Brandão Dias, Raiane dos Santos Pereira, Stéphany Vieira Brito, Rodrigo Browne, Isabela Almeida Ramos, Carmen Silvia Grubert Campbell

Resumo


Estudos relatam benefícios do exercício físico não só para os sistemas cardiovascular, respiratório e músculo-esquelético, mas também sobre a cognição. Para desenvolvermos os potenciais cognitivos de crianças em idade escolar é preciso criar estímulos novos e diferentes por meio de brincadeiras e jogos ativos motivacionais que favoreçam a aprendizagem. O presente estudo objetivou investigar os efeitos agudos de 30 min de brincadeiras ativas em aula de educação física sobre o desempenho escolar e em tarefas cognitivas subsequentes em crianças do ensino fundamental. Participaram do estudo 43 crianças (22 meninos e 21 meninas) do quarto ano do ensino fundamental de uma escola pública de Taguatinga – DF (CAIC). Primeiramente o Teste de Desempenho Escolar (TDE) foi considerado para tornar a amostra homogênea. Após isso as crianças foram divididas em umgrupo com educação física prévia (GCEF): 23 crianças – 13 meninos, 10 meninas, 9,7±1,4 anos, 17,3±2,6 kg.m(2)-1, 96,0±13,7 pontos no TDE; e um grupo controle sem educação física prévia (GSEF):20 crianças – 8 meninos, 12 meninas, 9,2±0,7 anos, 19,0±4,1 kg.m(2)-1, 92,7±13,3 pontos no TDE. O GCEF foi submetido a 30 min de brincadeiras ativas compostas por variações de pique-pega (178,8±27,2 bpm) e o GSEF permaneceu sentado em uma sala colorindo desenhos durante o mesmo período (91,7±11,8 bpm). Aos 15, 35 e 45 min de recuperação após a intervenção, os dois grupos foram submetidos respectivamente à prova escrita (10 questões de português e 10 de matemática), ao teste cognitivo de Stroop e ao Flanker. O GCEF apresentou melhor desempenho no percentual de acertos(p=0,04)na etapa mais complexa do teste de Stroop(88,3±13,1%) em sua fase mais complexa quando comparado ao grupo GSEF (71,6±31,7%). Não houve diferença no teste de Flanker nos escores entre os grupos. As provas de português e matemática que avaliaram o desempenho escolar para o grupo GCEF (3,5±1,1; 3,6±1,0 e 7,2±1,5 pontos) não diferiram significativamente do grupo GSEF () notas individuais de português e na soma total das provas de conteúdo escolar o GCEF (3,31±0,91 e 6,85±1,63 pontos). Foi possível concluir que 30min de brincadeiras ativas resultou em melhor desempenho na etapa mais complexa de um teste que avalia a capacidade de atenção seletiva.

Texto completo:

PDF