EXERCÍCIO FÍSICO E RELÓGIO BIOLÓGICO: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Elaine Cristina Vieira UCB
  • Rodolfo Soares Mendes Nunes
  • Stephany Melo Vieira
  • Ilanna Maria Holanda Almeida
  • Irineu de Sousa Junior
  • Taynah Oliveira Martins
  • Luiz Djalma Rodrigues Filho
  • Douglas Araújo Vargas
  • John Robert dos Santos Silva
  • Jéssica Mycaelle da Silva Barbosa

Resumo

A desregulação do sistema circadiano tem sido associada a uma maior incidência e alta prevalência de doenças crônicas de carácter não transmissível como a obesidade e diabetes. Essa desregulação ocorre em consequência de trabalho por turnos, da ingesta de alto teor de gordura na dieta alimentar, de perturbações do sono e também em consequência da exposição à luz artificial durante a noite através do uso de computadores e telefones celulares. O maior temporizador do sistema circadiano também designado de relógio central localiza-se no núcleo supraquiasmático do hipotálamo. Existem outros temporizadores (relógios circadianos periféricos) nos tecidos periféricos como o fígado, pâncreas, músculo e tecido adiposo. No interior celular os ritmos circadianos são controlados por genes relógio ou genes clock, os quais controlam funções metabólicas. Esta mini-revisão tem por objetivo trazer os recentes estudos que demonstram o efeito do exercício no relógio biológico muscular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-09-04

Edição

Seção

Aspectos Biológicos Relacionados a Saúde