Chamada dossiê Democracia e cidadania nas ondas sonoras

Democracia e cidadania nas ondas sonoras

O ano de 2019 marcou os cem anos das primeiras experiências radiofônicas no Brasil, com a Rádio Clube de Pernambuco. As datas, em constante revisão pelos estudos realizados no momento atual do meio, reforçam o panorama vivenciado pela sociedade em diferentes áreas. Na atualidade, o rádio vai além do AM e do FM. Expandido e hipermidiático, está presente em diferentes plataformas e agrega junto ao áudio, imagens estáticas e em movimento, estratégias em redes sociais, portais na internet, nos automóveis, na TV por assinatura e em smart speakers. Mesmo diante de tantas mudanças e tecnologias, permanecem as discussões sobre o papel do meio no contexto da democracia e da cidadania, de momentos de catástrofes e pandemias, das disputas de narrativa e a importância institucional das pesquisas e do ensino universitário na difusão do conhecimento. Na esteira dessa discussão, o consumo de internet pelo celular também insere planos de acesso à internet que tornam o áudio uma das formas de circulação de conteúdo em aplicativos de mensagem instantânea. Estudos realizados pelo Deezer e pelo Spotify revelaram aumento na produção, no consumo e no número de ouvintes diários de podcast.   É nesse contexto que a democracia e a cidadania são eixos centrais nas relações de poder e nas vozes que emanam, são selecionadas e surgem no rádio atualmente nos seus mais distintos espaços. Seja comercial, educativa, comunitária ou nas produções audiovisuais, a mídia sonora é antes de tudo constituída pelo ser humano, por homens e mulheres inseridos em contextos profissionais, sociais, de diversidade e pluralidade de pontos de vista. 

O Dossiê reunirá artigos desenvolvidos após apresentação de resumos expandidos no IV Simpósio Nacional do Rádio, realizado em maio de 2021 pela UFMT e a Unemat de forma virtual. Também são bem-vindas pesquisas que versem sobre a interseccionalidade entre a comunicação radiofônica em seus diferentes aspectos e as relações com o poder e a cidadania. As estratégias comunicacionais na atualidade na defesa ou no ataque ao ambiente democrático são partes da promoção de debates que envolvam a diversidade de vozes e a pluralidade de ideias e pontos de vista em conjunto com a utilização de novas tecnologias ao longo do desenvolvimento das produções em áudio.

Interessa ao dossiê selecionar trabalhos de autoras e autores que trabalhem os fundamentos do rádio expandido e hipermidiático, das emissoras em AM e FM, na internet ou das produções crescentes de podcasts no Brasil em reflexões acerca dos debates políticos e democráticos vivenciados na atualidade em um momento de pandemia do novo coronavírus. Também interessam abordagens relativas a apropriação da linguagem por meios tradicionais e alternativos, as saídas encontradas pela radiodifusão comunitária e a disseminação dos conteúdos radiofônicos ou em áudio nas redes sociais e seus atravessamentos no profissionalismo da comunicação nas perspectivas de raça, etnia, classe, gênero em suas especificidades na América Latina. As propostas de artigos nos seguintes eixos serão bem-vindas:

 - História do rádio na cobertura política e eleitoral

 - Podcasting e convergência, novos atores na discussão democrática

 - Rádio, direitos humanos e cidadania

 - A cobertura local do ambiente político e eleitoral

 - Radiojornalismo e diversidade de vozes

 - O entretenimento e arte na discussão política

 - Radiodifusão universitária

 - Cobertura esportiva no rádio

 - Rádio na cobertura sobre o novo coronavírus

O dossiê é organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMT (PPGCOM UFMT) em conjunto com o Grupo de Rádio e Mídia Sonora da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em Comunicação, Intercom. 

Co-editores para o dossiê

Luãn Chagas (PPGCOM UFMT)

Débora Cristina Lopez (UFOP/UFPR/Coordenadora do Grupo de Rádio e Mídia Sonora)

Submissões até 31 de janeiro de 2022

Publicação prevista para 30 de abril de 2022