Havana entre a câmera e o flâneur

Autores

  • Aline Souza Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Solange Jobim Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13303

Resumo

Este ensaio tem como referência imagens de arquivo pessoal da cidade de Havana, realizadas em 2019, alguns meses antes da chegada da pandemia Covid-19. Adotando os conceitos de “imagem dialética” de Walter Benjamin e a “partilha do sensível” de Jacques Rancière, as imagens de Havana são apresentadas como possibilidade para a abertura de um diálogo crítico sobre a urgência de um projeto coletivo que vise uma real mutação ecológica, econômica e social, respeitando a diversidade dos povos e nações habitantes de uma mesma morada – o planeta Terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Jobim, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Doutora pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Pós-doutorado pela Université Vincennes-Saint Denis, Paris 8. Professora da PUC-Rio e da Faculdade de Educação da UERJ, Pesquisadora Sênior do CNPQ, CAPES e FAPERJ.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

Souza, A., & Jobim, S. (2021). Havana entre a câmera e o flâneur. Esferas, (22), 246-263. https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13303

Edição

Seção

Dossiê Fotografia, crises e contemporaneidade: olhares sobre existências