Contravisualidades a partir da série Olhares Negros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13412

Resumo

Neste artigo refletimos sobre o conceito de contravisualidades de Mirzoeff (2011), a partir de Olhares Negros, projeto colaborativo que reúne imagens de famílias negras. Entendemos o projeto como uma estratégia de resistência ao regime visual hegemônico que invisibiliza, estereotipa e classifica pessoas negras e racializadas.  Buscamos também compreender de que modo a criação de um arquivo no Instagram pode colaborar para construção de outros imaginários sobre pessoas negras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julianna Nascimento Torezani, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professora do Curso de Comunicação Social da Universidade Estadual de Santa Cruz. Professora do Curso de Psicologia da Faculdade de Ilhéus. Professora do MBA Cultura visual: fotografia e arte latino-americana da Universidade Católica de Pernambuco. Doutora em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestra em Cultura e Turismo e Bacharela em Comunicação Social pela Universidade Estadual de Santa Cruz.

Emmanuely Ribeiro de Abreu, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Comunicação com habilitação em Rádio, Telvevisão e Internet pela Universidade Federal de Pernambuco e mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

Torezani, J. N., & Abreu, E. R. de. (2021). Contravisualidades a partir da série Olhares Negros. Esferas, (22), 98-112. https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13412

Edição

Seção

Dossiê Fotografia, crises e contemporaneidade: olhares sobre existências